D.R.I.

Ano passado, durante uma viagem ao Rio com minha mãe e minha irmã, aproveitamos uma tarde livre para explorar o Parque Lage por volta do horário de almoço e, como eu não poderia deixar passar a oportunidade de almoçar por lá, nossa escolha foi o delicioso D.R.I.!

Um dos percalços do D.R.I. é a espera. E nesse dia não foi diferente. Havia bem menos pessoas por lá do que o normal, uma vez que estavam montando a estrutura de um desfile de alguma marca gringa que teria dentro do casarão. Em compensação, todos o staff da produção resolveu almoçar por lá também. Mas é o D.R.I. e o parque lage, então esperamos.

No D.R.I. você consegue comer um pouquinho de tudo, mas o ponto forte da casa é o café da manhã. Turistas e cariocas se juntam por lá nas primeiras horas do domingo para apreciar todas as delicias da casa de frente para o espelho d’água mais charmoso do Rio de Janeiro. Porém, se você chegar um pouco mais tarde, saiba que o cardápio do almoço não fica para trás.

Eu comecei com uma deliciosa bruschetta, que estava divina, mas como eu não vivo de antepasto, tratei de caprichar no pedido do almoço. Mamãe e minha irmã foram tradicionais: arroz, feijão, batatas e uma carne – estavam afim de um almoço “caseiro”. Eu não sou dessas e nem sou fã do combo tipicamente brasileiro “baião de dois”, e muito menos perco a oportunidade de experimentar um novo prato, então fui de escondidinho de camarão – feito com batata baroa. No final das contas, as duas que tanto queriam uma prato com gostinho de casa, atacaram metade do meu escondidinho.

Após toda a comilança, aproveitamos para explorar as peças em exposição por lá. Para quem não sabe, o casarão do parque lage é a sede da Escola de Artes Visuais, e sempre dá para vagar pelos corredores, dando uma conferida nos trabalhos das turmas. Mas isso é assunto para outro post!

D.R.I.
Rua Jardim Botânico, 414 – Parque Lage
Jardim Botânico – Rio de Janeiro, RJ
Tel.: 21 2226.8125
www.driculinaria.com.br

Continue Reading

Hostel Suites Florida

Primeiramente gostaria de deixar bem claro aqui que eu sou aquele tipo de viajante que se hospeda em albergues… E ama. Albergue atende todas as minhas necessidades, que, em um hotel, são basicamente: café da manhã, banho e dormir. E como bônus, ainda conheço gente de várias partes do mundo. Dito isso, preciso falar que um dos albergues que mais gostei de ficar hospedada até hoje foi o Hostel Suites Florida – em Buenos Aires.

Muitos tem preconceito em hospedar no centro de Buenos, e mais ainda na Calle Florida, mas eu amei ficar a uma boa distância de todos os bairros e ainda ter todos os serviços necessários a mão. Era 2010, minha primeira vez em Buenos, e estar pertinho de todos os pontos turísticos foi uma mão na roda.

O hostel faz parte de uma rede que possui albergues por toda Buenos Aires, e outras cidades também, mas o Florida é o que conta com a melhor estrutura. Com 10 andares, o hostel possui recepção, living com TV, cozinha para os hóspedes, e mesas para almoçar e jantar, além de área de lazer com sinuca, computador com internet liberada, agência de turismo e um bar fusion que a noite funciona como uma espécie de aquecimento antes de sair para as baladas. Pelas manhãs, lá é onde é servido o café da manhã – que já vem incluso na diária.

Com 2 elevadores para atender todos os hóspedes, o hostel conta com quartos duplos, triplos, quádruplos e dormitórios (femininos, masculinos e mistos). Todos os quartos contam com ar, aquecimento, banheiro privado e armários com chaves. Mas, o mais legal de tudo são as festinhas e os pub crawls que rolam por lá. Estando sozinha, a dois ou com uma turma, tá aí uma boa pedida para se jogar em Buenos.

Hostel Suítes Florida
Calle Florida, 328 – Centro
Buenos Aires – Argentina
Tel: +54 11 43931397
florida.hostelsuites.com

Para preços e reservas, acesse a página do Hostel Suites Florida no Booking.

A rede de Hostel Suites também conta com outras unidades em Buenos Aires, como o Obelisco, também no centro, além de um em Palermo. Fora da capital federal, ainda há um Suítes em Mendoza.

Todos os reviews de hospedagens citadas e recomendadas aqui no blog são frutos de experiências verdadeiras que tive em hospedagens pelo Brasil e pelo mundo. O programa de parceria com o Booking, de maneira alguma, gera custo aos leitores. Pelo contrário: você ganha um review personalizado da hospedagem com link para um dos melhores sites de reserva do mundo. E, caso decida utilizar o serviços, o Booking me gratifica com uma comissão.

Continue Reading

Tour Fotográfico Por Montanha

Eu sempre comento (e reclamo) aqui sobre Montanha, a pequena cidade com pouco mais de 17 mil habitantes onde hoje eu moro. Sempre estou postando fotos inusitadas de lá, seja de algum local que eu passo em frente, algum momento da minha vida ou simplesmente algo bonito, como o pôr do sol.

Aliás, fotografia se tornou um vício e várias vezes não consigo deixar de registrar algo, mesmo que eu não poste no Facebook ou no Instagram. Meu celular, que é a minha principal fonte de captura destes momentos, está cheio de fotos perdidas dentre as mais de 4 mil imagens armazenadas por lá.

Por isso, resolvi que, além de fotos feitas com minha câmera semi-profissional ou, até mesmo com a minha point and shoot, os posts de tour fotográfico também terão imagens capturadas com meu celular. E, para começar, nada melhor do que um tour fotográfico pela estrela do meu feed de imagens: a pequena e pitoresca Montanha!

Continue Reading

50 Fatos Sobre Mim

1. Eu sou muio conversadeira. Demoro um pouco para pegar intimidade, mas depois, não consigo mais parar.

2. Amo experimentar novas comidas, sejam elas exóticas ou não. Gosto de comer algo que eu nunca comi antes, sabe?

3. Eu costumava fazer algumas das minhas bijuterias. Cheguei a vender para as amigas durante uma época, e até tinha uma marca com nome e identidade visual, mas hoje já não tenho tanto tempo livre assim.

4. Minha primeira viagem internacional foi ainda na barriga da minha mãe.

5. Odeio calça jeans. Acho que só tenho duas!

6. Eu piso torto – apesar de ter usado bota ortopédica e palmilha durante anos. Meus sapatos sempre acabam rapidinho.

7. Minha refeição favorita é o café da manhã.

8. Eu quase morri quando eu nasci.

9. E fui esquecida em uma festa na primeira vez que minha mãe saiu comigo. Vamos dar uma colher de chá pois ela era mãe de primeira viagem e foi uma situação bem fora do comum – assunto para outro post!

10. A primeira sopa que cozinhei derreteu completamente – macarrão, batata, cenoura… Tudo virou um caldão horroroso.

11. A primeira palavra que eu li em português foi “motel”.

12. Sou muito ansiosa e gosto de aprender coisas novas randômicas: história da arte, teologia, francês, política…

13. Eu amo cantar.

14. Eu era louca para usar aparelho. Achava lindo demais – vai entender. Aí, quando eu finalmente coloquei, fiquei louca para tirar. É sempre assim, né?

15. Minha paixão na moda, ao contrário da maioria das mulheres, não são os sapatos – são as bolsas!

16. O primeiro filme que eu assisti no cinema foi Free Willy.

17. Não tenho um drink favorito – curto mesmo é um vinhozinho.

18. Eu amo bolo de cenoura com cobertura de chocolate, e o melhor do mundo é feito pela Tia Lúcia, mãe da minha amiga de infância, Isabella.

19. Sou muito boa em guardar segredos – desde novinha. Se me pedir para não falar para ninguém, o segredo morre comigo.

20. Tenho 2 tatuagens: Uma no pescoço e uma nas costas.

21. Sou extremamente impaciente, principalmente com falta de atenção. É algo que tento trabalhar em mim.

22. Sou apaixonada pela cultura francesa em geral.

23. Mas minha língua favorita, no momento, é o espanhol.

24. E a cidade no mundo onde eu gostaria de morar é Londres.

25. Eu não gosto de água. Sei lá, não curto o gosto. E tenho que me forçar a tomar, porque meu corpo não sente falta.

26. Tenho medo de cirurgias em geral, inclusive do parto.

27. Minha coleção de livros vale o valor de uma moto popular – ou mais.

28. Eu choro a toa – mas na minha privacidade. Sou bem durona “em público”!

29. Apesar de ser mineira, não gosto de praia, a não ser que seja para comer um peixe frito com uma cerveja gelada, ou praticar esportes, como corrida e mergulho.

30. Eu já fiz carinho em um tubarão!

31. Eu joguei vôlei durante anos – e, inclusive, disputei (e ganhei!) vários campeonatos locais em Minas e aqui no ES.

32. Eu amo dançar – e, por isto, meu apelido no colégio era Britney.

33. Eu também AMO música – de todos os estilos. Minha vida tem uma trilha sonora para cada momento.

34. Eu não gosto de receber ligação – prefiro mensagem de texto.

35. Meu doce favorito é o brigadeiro – aquele tradicional mesmo, de festa de criança.

36. Planejo meu dia a dia em uma agenda e não vivo sem ela.

37.Minha estação preferida do ano é o Outono – em países onde temos o Outono, né.

38. Eu gosto de comidas e bebidas em temperaturas extremas: Se é para ser quente, que seja fervendo. Se é para ser frio, que seja congelando.

39. Só assisto TV esparramada. Não consigo sentar como alguém “civilizado”.

40. Sou bem sincera e direta. Não há nada que eu não tenha coragem de dizer a alguém – seja ele quem for. Mas sempre com muita educação, claro.

41. Eu amo fazer compras de supermercado.

42. Em compensação, odeio comprar roupas – ou melhor: odeio experimentar roupas em lojas.

43. Sempre tenho um livro na bolsa e leio um livro, em média, por semana. Já foi a cada dois dias, mas não tenho mais o tempo.

44. Eu amo esportes radicais.

45. Eu não gosto de morar no interior.

46. Quando eu gosto de algum prato em algum bar/restaurante/café, não consigo escolher outra coisa. Suco: Só maracujá. McDonalds: Só Cheddar McMelt. Dunkin’ Donuts: Chocolate frosted donut with sprinkles – do colorido, por favor!

47. Meu primeiro show foi do Jota Quest.

48. Apesar de amar viagens, não tenho interesse algum de fazer cruzeiros veraneios.

49. Porém, morro de vontade de fazer expedições pela Patagônia, Alasca ou um para a Antártida.

50. Escrever o blog, para mim, é uma espécie de terapia. Aqui posso falar de tudo.

É isso. Quem mais quer contar 50 fatos sobre si?

Continue Reading

La Parolaccia Trattoria

Minha última viagem à Buenos Aires aconteceu um pouco sem querer: estava no trabalho quando recebi um alerta de promoção no site do Melhores Destinos. Nem pensei duas vezes e comprei as passagens. Assim, no impulso – e sim: para viajar sozinha.

Sim, sozinha. Tarcisio não queria/poderia ir e eu já estava precisando de umas férias urgentemente. Então, iria sozinha mesmo. Seria a minha maior viagem sem a companhia de outra pessoa. Mas, minha mãe, apaixonada por viagens que só ela (logicamente, uma das pessoas da família a qual eu puxei), logo que ficou sabendo da promoção e que eu havia comprado passagens para mim, me pediu os dados do meu voo e tratou de ajeitar tudo para ir comigo também.

E, finalmente, cerca de uma semana antes de embarcar, uma amiga que ficou sabendo que eu estava de viagem marcada para Buenos, entrou em contato comigo pois ela e os pais estavam com passagens para lá na mesma data que nós. E foi assim que uma viagem solo se tornou praticamente uma excursão – muito legal, por sinal.

E logo no primeiro dia já tratamos de nos encontrar para um almoço de catch up no La Parolaccia Tratoria: um restaurante delicioso que fica em Puerto Madero e é baseado na culinária italiana. Brindamos a viagem e colocamos a conversa em dia. Aliás, eu amo reencontrar amigos em bares, cafés ou restaurantes. É sempre uma delícia.

Isso é ainda melhor em uma cidade como Buenos Aires, onde já se tem o costume de levar a refeição por horas e horas. E, levando tudo isso em conta, naquele almoço resolvemos que iriamos pedir entrada, prato principal, sobremesa, vinho, café… Tudo que tínhamos direito – e sem olhares tortos dos garçons – outra das vantagens de Buenos. No final das contas, nosso almoço deve ter durado umas três horas.

Logo que sentamos o garçom veio nos receber e trazer os cubiertos. Ai, o que falar dos cubiertos argentinos gente? Eu tenho verdadeiro amor. Sou uma pessoa que fica extremamente estressada quando está com fome, mas entendo que existem certos pratos que pedimos nos restaurantes e que não dá para ficarem prontos em 5 minutos, portanto o cubierto, ou como conhecemos no Brasil, couvert, ajuda a aliviar um pouco a urgência. E, sinceramente, não entendo restaurantes que não oferecem couvert – seja ele pago ou não.

As opções de entrada eram inúmeras e para todos os gostos. Eu pedi uma salada, mas o pai da minha amiga errou o pedido e vieram mexilhões. Como ele não iria comer,eu troquei com ele o meu prato, uma vez que eu amo estes mariscos e é uma opção que dificilmente encontro aqui em Montanha. Já como prato principal todos fomos mais tradicionais e o carro chefe do restaurante: lasanha a bolonhesa a moda da casa. Estava sensacional.

E por fim, a sobremesa – que, sinceramente, é a melhor parte. Como era a nossa primeira refeição em Buenos e eu sou completamente apaixonada pelo doce de leite local (aliás, existe alguém que não é?), minha escolha tinha que envolver ele né? Então fui de vulcão de doce de leite, que é quase o mesmo que um petit gateau, servido com um delicioso sorvete de creme caseiro. Estava divino.

Foi, sem dúvidas, uma tarde maravilhosa e um ótimo início para a nossa viagem.

La Parolaccia Trattoria
Alicia Mureal Justo, 1052
Puerto Madero
Buenos Aires, Argentina
Tel: +54 11 4783.0200

Continue Reading