Aquí Me Quedo

antes das minhas viagens eu faço pesquisas intensas
foi assim, pesquisando sobre Buenos Aires
que caí de paraquedas no Aquí Me Quedo
e nunca mais esqueci essas três palavrinhas.

Acho o “som” dessa frase tão lindo. Sempre que leio o título do blog ou penso nele, falo com o sotaque castelhano afiado. Mas a beleza mesmo, para mim, está no significado profundo dessas três palavras: Aqui Me Quedo traduz como “Vou Ficar Aqui”, e é esse exato sentimento que a Gisele Teixeira, autora do blog, tem por Buenos Aires – seu lugar no mundo. E isso me toca muito, pois acredito que ainda não achei o meu.

Minhas cidades do coração são Buenos (como a Gisele, mas não sei se conseguiria viver por lá), o Rio (mas acho que também não é pra mim), e agora Milão (não conheço suficiente). No final das contas, nem mesmo Vix está nas minhas opções para longo prazo, apesar de eu ter um amor inexplicável por essa ilha maravilhosa.

O que eu sei é que Montanha, apesar de aparentar eterna, será apenas um capítulo na minha vida. Após 5 anos aqui, em nenhum dia consegui chamar a pequena cidade de lar. Percebi dia desses que vivi uma vida temporária durante todo esse tempo, fugindo de “compromissos” como comprar um imóvel ou, até mesmo, pintar uma parede de cor diferente. No fundo eu sempre soube que não estava aqui para ficar.

As vezes (quase sempre) me sinto perdida… Como se não soubesse o que o próximo ano me reserva. Além do mestrado que pretendo iniciar até 2017, nada está “fixado” na minha vida. Pra falar a verdade, nem mesmo o mestrado, já que não sei em qual ponto investir – ou, ainda, se vou entrar ou não nesse mestrado, porque aqui é longe de tudo e envolve toda uma logística para fazê-lo acontecer!

É difícil não saber onde “me quedo“. Mais ainda é não saber qual caminho seguir para alcançar essa realização de descobrir seu lugar no mundo e amar tanto a rotina do dia a dia, que nem a mais nublada das segundas te põe pra baixo.

Tô aberta a sugestões…

Leia Também