Por Onde Eu Estava…

Vocês repararam que eu dei uma pausa na programação de posts sobre o #PocandoNoES e sumi quase por um mês daqui do blog. Mas, garanto que foi por um excelente motivo: minha irmã e eu partimos em uma viagem espontânea por Foz do Iguaçu, no Brasil, Assunção, no Paraguai, e o belíssimo norte Argentino – que foi a grande estrela desse mochilão.

A viagem não poderia ter vindo em um momento mais propício: já estou oficialmente fora do hospital que eu trabalhava, sem uma casa para chamar de minha, e com o pouco que (agora) eu tenho, empacotado em cerca de 10 caixas. A sensação de leveza e liberdade me levou a comprar as passagens para Foz e fazer a viagem sem planejamento algum – apenas com a certeza de que eu queria passar pela cidade de Salta.

Vivemos dias incríveis, onde fizemos novos amigos, experimentamos diversas comidas, nos emocionamos com paisagens dramáticas, dançamos ritmos diferentes, passamos frio, dormimos às 5 da manhã… Foram momentos mágicos onde, tanto eu, quanto minha irmã, recuperamos as energias para as novas aventuras que nossas vidas irão nos proporcionar ainda esse ano.

Estou aqui agora, sentada na cozinha da minha mãe, escrevendo este post enquanto a máquina de lavar limpa todas as minhas roupas das areias de um deserto que trouxe para minha vida muito mais que simples lembranças. Essa vai ser uma viagem que vou levar comigo para sempre. E claro, aos poucos, vou dividir aqui tudo com vocês!

Continue Reading

Hostel Suites Florida

Primeiramente gostaria de deixar bem claro aqui que eu sou aquele tipo de viajante que se hospeda em albergues… E ama. Albergue atende todas as minhas necessidades, que, em um hotel, são basicamente: café da manhã, banho e dormir. E como bônus, ainda conheço gente de várias partes do mundo. Dito isso, preciso falar que um dos albergues que mais gostei de ficar hospedada até hoje foi o Hostel Suites Florida – em Buenos Aires.

Muitos tem preconceito em hospedar no centro de Buenos, e mais ainda na Calle Florida, mas eu amei ficar a uma boa distância de todos os bairros e ainda ter todos os serviços necessários a mão. Era 2010, minha primeira vez em Buenos, e estar pertinho de todos os pontos turísticos foi uma mão na roda.

O hostel faz parte de uma rede que possui albergues por toda Buenos Aires, e outras cidades também, mas o Florida é o que conta com a melhor estrutura. Com 10 andares, o hostel possui recepção, living com TV, cozinha para os hóspedes, e mesas para almoçar e jantar, além de área de lazer com sinuca, computador com internet liberada, agência de turismo e um bar fusion que a noite funciona como uma espécie de aquecimento antes de sair para as baladas. Pelas manhãs, lá é onde é servido o café da manhã – que já vem incluso na diária.

Com 2 elevadores para atender todos os hóspedes, o hostel conta com quartos duplos, triplos, quádruplos e dormitórios (femininos, masculinos e mistos). Todos os quartos contam com ar, aquecimento, banheiro privado e armários com chaves. Mas, o mais legal de tudo são as festinhas e os pub crawls que rolam por lá. Estando sozinha, a dois ou com uma turma, tá aí uma boa pedida para se jogar em Buenos.

Hostel Suítes Florida
Calle Florida, 328 – Centro
Buenos Aires – Argentina
Tel: +54 11 43931397
florida.hostelsuites.com

Para preços e reservas, acesse a página do Hostel Suites Florida no Booking.

A rede de Hostel Suites também conta com outras unidades em Buenos Aires, como o Obelisco, também no centro, além de um em Palermo. Fora da capital federal, ainda há um Suítes em Mendoza.

Todos os reviews de hospedagens citadas e recomendadas aqui no blog são frutos de experiências verdadeiras que tive em hospedagens pelo Brasil e pelo mundo. O programa de parceria com o Booking, de maneira alguma, gera custo aos leitores. Pelo contrário: você ganha um review personalizado da hospedagem com link para um dos melhores sites de reserva do mundo. E, caso decida utilizar o serviços, o Booking me gratifica com uma comissão.

Continue Reading

La Parolaccia Trattoria

Minha última viagem à Buenos Aires aconteceu um pouco sem querer: estava no trabalho quando recebi um alerta de promoção no site do Melhores Destinos. Nem pensei duas vezes e comprei as passagens. Assim, no impulso – e sim: para viajar sozinha.

Sim, sozinha. Tarcisio não queria/poderia ir e eu já estava precisando de umas férias urgentemente. Então, iria sozinha mesmo. Seria a minha maior viagem sem a companhia de outra pessoa. Mas, minha mãe, apaixonada por viagens que só ela (logicamente, uma das pessoas da família a qual eu puxei), logo que ficou sabendo da promoção e que eu havia comprado passagens para mim, me pediu os dados do meu voo e tratou de ajeitar tudo para ir comigo também.

E, finalmente, cerca de uma semana antes de embarcar, uma amiga que ficou sabendo que eu estava de viagem marcada para Buenos, entrou em contato comigo pois ela e os pais estavam com passagens para lá na mesma data que nós. E foi assim que uma viagem solo se tornou praticamente uma excursão – muito legal, por sinal.

E logo no primeiro dia já tratamos de nos encontrar para um almoço de catch up no La Parolaccia Tratoria: um restaurante delicioso que fica em Puerto Madero e é baseado na culinária italiana. Brindamos a viagem e colocamos a conversa em dia. Aliás, eu amo reencontrar amigos em bares, cafés ou restaurantes. É sempre uma delícia.

Isso é ainda melhor em uma cidade como Buenos Aires, onde já se tem o costume de levar a refeição por horas e horas. E, levando tudo isso em conta, naquele almoço resolvemos que iriamos pedir entrada, prato principal, sobremesa, vinho, café… Tudo que tínhamos direito – e sem olhares tortos dos garçons – outra das vantagens de Buenos. No final das contas, nosso almoço deve ter durado umas três horas.

Logo que sentamos o garçom veio nos receber e trazer os cubiertos. Ai, o que falar dos cubiertos argentinos gente? Eu tenho verdadeiro amor. Sou uma pessoa que fica extremamente estressada quando está com fome, mas entendo que existem certos pratos que pedimos nos restaurantes e que não dá para ficarem prontos em 5 minutos, portanto o cubierto, ou como conhecemos no Brasil, couvert, ajuda a aliviar um pouco a urgência. E, sinceramente, não entendo restaurantes que não oferecem couvert – seja ele pago ou não.

As opções de entrada eram inúmeras e para todos os gostos. Eu pedi uma salada, mas o pai da minha amiga errou o pedido e vieram mexilhões. Como ele não iria comer,eu troquei com ele o meu prato, uma vez que eu amo estes mariscos e é uma opção que dificilmente encontro aqui em Montanha. Já como prato principal todos fomos mais tradicionais e o carro chefe do restaurante: lasanha a bolonhesa a moda da casa. Estava sensacional.

E por fim, a sobremesa – que, sinceramente, é a melhor parte. Como era a nossa primeira refeição em Buenos e eu sou completamente apaixonada pelo doce de leite local (aliás, existe alguém que não é?), minha escolha tinha que envolver ele né? Então fui de vulcão de doce de leite, que é quase o mesmo que um petit gateau, servido com um delicioso sorvete de creme caseiro. Estava divino.

Foi, sem dúvidas, uma tarde maravilhosa e um ótimo início para a nossa viagem.

La Parolaccia Trattoria
Alicia Mureal Justo, 1052
Puerto Madero
Buenos Aires, Argentina
Tel: +54 11 4783.0200

Continue Reading

Guia de Buenos Aires

Não é segredo para ninguém que eu amo Buenos Aires. Afinal, escolhi a cidade para ser o cenário da minha lua de mel e sempre indico a viagem aos amigos que ainda não conhecem a capital da Argentina. E, por isso, vou contar aqui os passeios que gostei de fazer, os locais onde amei comer, as baladas mais animadas que já frequentei e tudo de interessante que eu tiver a falar sobre Bue.

Vou destrinchar aqui no blog a minha Buenos Aires, e mostrar para vocês como há coisas naquela cidade, tão simples, mas que me deixam feliz e com o coração repleto. Sabe aquele papo de alma-gêmea? Então, acho que a minha era Argentina.

Eu amo coisas banais como andar em um ônibus tarde da noite tocando músicas boêmias; comprar chocolates ao fim do dia em um kiosco; um submarino com medialunas calentitas em um dos muitos charmosos cafés da cidade. Ou, claro, almoçar em restaurantes com mesas nas ruas e bater papo por 3 horas sem cara feia do garçom; empanadas na hora da merienda; comprinhas nas charmosas ruas de Palermo; sonhar com uma aposentadoria em Belgrano; garimpar vinhos para a noite de sexta em um chino; sair para a balada às duas da manhã.

E dormir ao amanhecer. E amanhecer praticamente ao entardecer. Junto com a cidade que tem a alma como a minha, e que me faz sentir parte de si, ainda que, na verdade, eu seja uma mera forasteira apaixonada.

UM PEQUENO GUIA DE BUENOS AIRES

Como chegar em Buenos Aires?

Saindo do Brasil, existem três maneiras para se chegar até Buenos Aires. A mais tradicional delas, certamente, é voando. A cidade possui dois aeroportos e você, provavelmente, desembarcará no Aeroporto Internacional Ministro Pistarini (mais conhecido como Ezeiza) – localizado nos arredores de Buenos e principal porta de entrada da Argentina.

Além disso, há ainda o Aeroparque Jorge Newbery – um aeroporto menor localizado dentro da cidade, no bairro de Palermo, que recebe mais vôos domésticos, mas que, vez ou outra, é portão de desembarque para alguns vôos que chegam do Brasil – principalmente da Aerolíneas Argentinas.

Para mais informações, vale a pena dar uma olhada no site dos aeroportos argentinos: www.aa2000.com.ar

Há ainda algumas linhas de ônibus que ligam o Brasil à Buenos Aires. As principais linhas partem do sul do país, porém há opções saindo, até mesmo de São Paulo. As principais companhias que fazem o trajeto de 36 horas são a Crucero Del Norte e a Pluma.

Como estamos no mesmo continente, há ainda a opção de se aventurar em uma roadtrip pelo Brasil, passando pelo Uruguai e seguir para a Argentina, tendo a oportunidade de parar em cidades maravilhosas pelo caminho – inclusive com trechos de costa marítima incrível.

Transporte:

Se locomover por Buenos é super tranquilo. A cidade é plana e dá para fazer quase todos os programas a pé – eu amo. Mas, quando for necessário, use e abuse das diversas formas de transporte que a cidade oferece: são baratos e eficientes.

O mais comum aos turistas são os taxis – e em Bue, os baixos preços nos deixam um pouco acomodados e acabamos ficando com essa opção. Cinco minutinhos dentro de um típico taxi porteño (preto e amarelo) vão te mostrar que andar de carro pela cidade é um passeio cheio de emoções. O trânsito é caótico e os motoristas são em estressados. Ja teve um que se enfiou comigo dentro do porto – correndo lado a lado com o canal. Achei que minha vida acabaria ali, debaixo d’água.

Há também o metrô – ou subte, como os locais o chamam. Para mim, depois das pernas, é o melhor meio de locomoção pela cidade. As linhas são bem espalhadas (com exceção da Recoleta), o serviço é bom e dá para andar sem grandes riscos de se perder. Para conseguir desconto na compra de várias “viagens”, vale a pena comprar um cartão SUBE, com o qual você carrega com um valor a ser utilizado no metrô.

Aliás, este cartão também é válido para se locomover de ônibus pela cidade e, ainda que não seja a escolha mais prática ou rápida dentre as três, vale lembrar que várias linhas do bus porteño são 24 horas e é uma das melhores maneiras de você ir/voltar das noites de Buenos.

Informações Úteis:

Site Oficial: www.buenosaires.gob.ar
DDI/DDD: +54/11
Voltagem: 220v

ÍNDICE DE POSTS

Buenos Aires | Bairro a Bairro
> Belgrano
> Recoleta
> Puerto Madero
> Puerto Madero (Tour Fotográfico)

Dicas de Hospedagem
> Hostel Suites Florida
> Ritz Hostel

Passeios e Dicas de Turismo
> De bicicleta por Buenos Aires
> Jardim Botânico de Buenos Aires
> Jardim Botânico de Buenos Aires (Tour Fotográfico)
> El Rosedal
> El Rosedal (Tour Fotográfico)

Dicas Gastronomicas
> Alameda
> Buller
> Café Tortoni
> Deluca
> La Parolaccia Trattoria
> Oui Oui
> Primafila
> Rondas
> Sagardi

Bate e Volta a partir de Buenos Aires
> Colonia del Sacramento (Uruguai)
> Colonia Express: A balsa que liga Buenos ao Uruguai

Outros
> Uma noite qualquer em Buenos Aires

Extra: Blogs bacanas de Buenos Aires
> Aires Buenos
> Aquí Me Quedo
> Buenos Aires para Chicas (a Amanda não mora mais em Bue – mas vale super a pena conferir!)

Continue Reading

Tour Fotográfico Pelo Rosedal

Como controlar o desejo de fotografar cada cantinho de um dos locais mais lindos que já vi na vida?
Ainda mais quando estou com uma câmera nova e testando todas as funções
que ando aprendendo nesse meu novo hobby que é a fotografia.
Portanto, não consegui selecionar poucas fotos, então resolvi postar aqui um tour fotográfico da minha primeira
e tardia visita ao Rosedal, em Buenos Aires.
Preparem o coração!

Desculpem o “flood“, mas não pude resistir!

Continue Reading