A Fazenda

Meu pai foi criado em uma fazenda e, mesmo que a vida o tenha levado para longe das terras, plantações e criações, seu sonho sempre foi voltar à suas raízes. E recentemente ele conseguiu. A fazenda, que fica em MG, foi adquirida há cerca de 1 ano, e desde então ele tem investido na propriedade e em gado, uma vez que sua fonte de renda por lá é o leite. Além disso ele produz a ração das vacas e realiza também inseminações artificiais, tudo para ter bezerros tão bons quanto as vacas que adquiriu.

Ele já tinha todo o plano da fazenda montado, em cadernos e mais cadernos onde ele rabiscava o sonho. Algo bem parecido com o que eu fazia com os meus planos profissionais. E faço até hoje com tudo aquilo que um dia desejo alcançar. Acho que puxei isso dele.

Eu, por falta de tempo (ou falta de interesse mesmo, sejamos realistas), ainda não conhecia a fazenda, então aproveitei o feriado prolongado para ir visitar com Tarcisio, que, assim como o meu pai, ama essa vida de interior e mal podia esperar para chegar lá.

Foram 5 dias na fazenda, que fica longe do asfalto, em uma região de estrada de chão, muitas subidas, sem sinal de telefone fixo ou celular, e sem, lógico, TV a cabo. A casa ainda é a mesma que existia na fazenda quando meu pai a comprou e não comporta toda a família confortavelmente. Além disso, a fiação é tão antiga que muitas vezes não dava conta de carregar aparelhos eletrônicos mais sofisticados, como notebooks, tablets e smartphones. E lá se foi a nossa chance de assistir uma serie, um filme ou ler um livro (que eram digitais).

O jeito foi voltar aos dias de antigamente, onde o melhor passatempo era passar o tempo com alguém, bater papo, jogar cartas e dominó, andar pelo campo, rir ate chorar e curtir, em família, momentos preciosos. Mas, mesmo com todas estas coisas boas que tirei dessa minha experiência, teve uma coisa que absolutamente me fascinou na fazenda: O céu.

Eu sou apaixonada pelo céu, por suas cores, pelo nascer e o por do sol, pelo crepúsculo, pela lua, pelos ventos, as estrelas. E la na fazenda, com seu ar puro e sua escassez em iluminação artificial, parecia que o céu estava sempre mais bonito do que em qualquer outro lugar. E é por isso que algumas das minhas inúmeras fotos do céu tiradas lá na fazenda, ilustram o post de hoje.

É, acho que vou voltar mais vezes.

Continue Reading

Redentor

Na única noite que passei em Belo Horizonte durante uma viagem a trabalho no final do ano passado, tive uma grande vontade de ficar quietinha no meu hotel descansando. Eu havia chegado na cidade às 4 da manhã e passei o dia de reunião em reunião – definitivamente, foi extremamente cansativo. Mas, como estava hospedada na Savassi, com muitas opções de bares e restaurantes ao meu redor, resolvi não perder a oportunidade de estar tão bem localizada, e saí para explorar a noite da região.

Acabei escolhendo para jantar o bar mais pertinho do meu hotel, e o qual alguns colegas locais havia falado muito bem sobre. O tal bar era o Redentor, um espaço gostosinho e que é considerado há anos o melhor chopp de BH. E como não poderia deixar passar um local tão icônico, pedi logo um choppinho para relaxar e curtir a noite. Aliás, o serviço dos chopes é impecável. Você termina um, e o garçom já vem com outro. Após o segundo eu já tive que virar o copo, afinal, era um choppinho de leve para relaxar, pois no outro dia mai trabalho me aguardavam. E bem cedo!

Para comer, eu estava com muita dúvida. O bar tem aquele clima carioca (eis o nome) e as comidinhas eram mais no estilo petiscos, portanto as escolhas para jantar eram bem limitadas. Acabei optando pelo Filé Mingnon com Penne ao Molho Quatro Queijos – e o prato, que além de estar maravilhoso, ainda era bem generoso. Dá fácil para duas pessoas dividirem. Eu fui apreciando com calma, sem pressa, entre um gole de chopp e outro. E também curtindo o bar, que estava em clima de happy hour, com um sonzinho de bossa nova ao fundo.

No final das contas em não consegui terminar o prato, mas ainda enrolei um pouco na minha mesa, localizada a varada, onde eu aproveitava uma daquelas raras ocasiões em que eu tenho a oportunidade de estar sozinha em um bar para praticar um hobby que eu adoro: o “people watching” – vendo os Belo Horizontinos beberem, comerem ou passando de lá para cá – daqui pra lá.

Dormi Feliz!

Redentor
Rua Fernandes Tourinho, 500 – Savassi
Belo Horizonte – Minas Gerais
Tel: (31) 3284.1175
www.redentorbar.com.br

Continue Reading