Minimalismo

{identifique o essencial. elimine o restante!}

Desde que entramos em 2017 eu fiz uma série de mudanças na minha vida. Hoje, 8 meses depois, tudo que eu tenho de bens materiais se resume à duas araras de roupas na casa dos meus pais, alguns pares de sapatos, duas gavetas de um criado mudo com documentos e coisas pessoais, além de umas caixinhas com objetos de grande valor sentimental que eu pretendo carregar para a minha futura casa quando eu finalmente cansar do meu período sabático. E, para ser honesta, há muito eu não me sentia tão feliz!

Desapegar, primeiramente, foi por questão de necessidade. Por conta do novo trabalho, desfiz de praticamente de tudo que eu tinha em casa, desde móveis, até pratos e eletrodomésticos. Alguns eu vendi, alguns eu doei, alguns presenteei à amigos, familiares ou instituições que eu sabia que precisavam. No final, me vi em uma casa vazia, mas com o coração transbordando de felicidade. Eu me senti mais leve, pois sabia que estava abrindo mão do material para sair em busca de um sonho que há muitos anos eu cultivava.

Aos poucos eu percebi que esse estilo de vida minimalista, onde a gente mantém, não o mínimo, mas o essencial, estava me fazendo muito bem, e assim eu fiz novas “limpezas” na minha vida: doei/vendi cerca de 70% das minhas roupas, fiz um grande bazar dos meus livros, passei para minha irmã e minha mãe quase todas as minhas maquiagens (inclusive uma base fechada da MAC!), dei uma geral nos meus acessórios, e joguei fora tudo que estava no meu armário e que não tinha mais condições, nem mesmo, de ser doado.

A tal “limpeza” também aconteceu em outras esferas. Hoje eu dedico meus dias à atividades da “vida real”. Ainda que eu continue amando as redes sociais, me impus um limite de tempo a ser gasto nelas. Mantive somente as redes que mais me interessam, e também parei de seguir pessoas por “obrigação”. Resolvi também estar mais presente e deixar meu celular de lado quando saio com amigos, estou com a família ou faço uma viagem. E, ainda que role uma foto aqui, um stories ali, 99% do tempo eu tenho estado aproveitando o aqui e agora.

Acho que, atualmente, o minimalismo é um movimento que vem ganhando muita força. Eu ainda estou tentando entender bem o porque, mas acho que tem muito a ver com o fato de que a nossa geração está em uma busca incansável pela verdadeira felicidade. Não sei. O que eu sei é que resolvi escrever este post porque, quando eu acabei mais uma organização que fiz neste último sábado, e me dei um tempinho para fuçar as redes sociais, vi um snap da Thaís contando que estava fazendo uma limpa inspirada na Marie Kondo, rainha dos praticantes deste estilo de vida. Depois eu falo mais sobre ela e, claro, sobre minimalismo. O assunto ainda vai render muito aqui no blog!

fonte da imagem: pantone