O Efeito da Astrologia em Você

Eu sou daquelas que diz que não acredita em Astrologia, mas que lê o signo do dia sempre que pode. E Deus que me livre ler previsão de signo antiga. De dias que já se passaram. Não pode, atrasa a vida.

O engraçado é que, apesar de “não acreditar”, não posso negar as coincidências que encontro em pessoas do mesmo signo. Meu caso, por exemplo: Sou taurina, então tendo a ser decidida, forte, brava e muito direta. Todo taurino que conheci até hoje é assim. Vai explicar.

Daí, li há um tempo atrás, que depois dos 30 quem rege o seu jeito de ser é o ascendente. E tenho notado que a minha personalidade anda mudando muito nos últimos 2 anos. Culpo a idade, o amadurecimento, mas, não custa nada checar a astrologia e tentar prever como eu vou ser dentro de 24 meses.

Pois bem, o meu ascendente é gêmeos – signo dos meus irmãos. De acordo com as minhas pesquisas, este signo tem esse nome devido ao caráter duplo de quem o carrega. E não, Deus que me livre de ser dupla-face. O duplo aí é no sentido de ser complexo. Contraditório. Além de serem calculistas e exigentes. Já sou assim, portanto, se já sou difícil de ser compreendida agora, a tendência é só piorar.

Pelo lado positivo, serei mais adaptável e versátil – coisa necessária para finalmente me contentar com essa vida de interior – será? Além disso, serei mais do mesmo: Inteligente, eloquente, comunicativa, carinhosa, e cheia de energia e vida. Sentiram a ironia?

É, como escutei em um certo filme por aí, 30 é mesmo a idade do sucesso.

Leia Também